Cinema & Moda: Mulheres à beira de um ataque de nervos.

11 Jun

Sempre gostei de cinema mas não sou fanática. Tenho alguns filmes do coração e outros que me marcaram por algum motivo às vezes explicável, às vezes não. “Mulheres à beira de um ataque de nervos”, filme do espanhol Pedro Almodóvar lançado em 1988, é um dos filmes que me marcou muito por exemplo e eu acho que sei porque (ai, será que consigo explicar??)

Cartaz "Mulheres à beira de um ataque de nervos"

Cartaz “Mulheres à beira de um ataque de nervos”

Quando eu tinha uns quinze, dezesseis anos (1997/98) passei por uma fase de ver filmes clássicos com amigos. Nos juntávamos na casa de alguém depois da escola ou no fim de semana para passar a tarde assistindo filmes clássicos e novos clássicos. Entrava de tudo na lista de filme que alugávamos (sim, alugávamos a fita VHS!! haha), tinha filme de drama, comédia, terror, musical…tudo! Numa tarde dessas alugamos “Mulheres à beira de um ataque de nervos” e eu pirei!
As cores, o figurino, a expressividade da língua espanhola, as atrizes! O filme me deixou vidrada. De alguma forma eu compreendia toda aquela confusão, aqueles sentimentos “à beira de um ataque de nervos”, apesar de ser adolescente na época.

Atrizes principais do filme

Atrizes principais do filme

O jeito como Almodóvar trabalha com as cores é muito impressionante e muito autoral. É possível reconhecer o seu estilo, sempre over, kitsch, com muita geometria e cores quentes (nesse filme tem muito vermelho!). O figurino, claro, não poderia seguir outro caminho. O figurinista de Almodóvar, José Maria de Cossío, é um grande parceiro do diretor e coordenou os figurinos de filmes como Mulheres à beira de um ataque de nervos, Kika (com participação do estilista Jean Paul Gaultier). Ata-me e Abraços Partidos. Juntos eles criam e criaram a “Estética Almodóvar ” nos figurinos. A dupla cria moda e não simplesmente constrói uma época, um período aonde a história de passa.

O figurino do “Mulheres à beira de um ataque de nervos” é bem anos 80, tem muitos brincões, conjunto de blaser com saia, meia calça preta, estampa xadrez, estampas coloridas, muito vermelho, poá e uns toques anos 60 de uma das personagens, a Lucía. Acho que o figurino faz parte do lado cômico do filme hoje em dia, mas sempre teve a cara do Almodóvar e talvez, na época de seu lançamento (1988), não tenha chamado tanta a atenção (será?).

Pepa (personagem de Carmen Maura) e Lucía (personagem de Julieta Serrano)

Pepa e Lucía

Algumas personagens do filme

Algumas personagens do filme

O filme é marcante mais pelo conjunto da obra do que pelo figurino em si, apesar dele ser muito importante para a estética toda. Acho que para quem curte moda, é um filme bem datado (alguns dizem que é atemporal…não concordo) e interessante de se ver.  Aliás, se você nunca assistiu, repare na quantidade de vezes que a Pepa (Carmem Maura) troca de roupa durante o filme! hehe

Por Fernanda Weber.

Badulakit  

Anúncios

Deixe seu comentário ;)

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: